Acidente no trabalho em altura / Análise -01/11/2017

 

Acidente no trabalho em altura

 

Não é de hoje que o assunto acidente no trabalho em altura perturba o sono de todos que estão envolvidos com a segurança do trabalho. As estatísticas mostram que os acidentes ocorrem em grande escala e sabemos que medidas de segurança precisam ser adotadas para mudar esse quadro.

 

E a pergunta sempre é: o que fazer? Como fazer?

 

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) desenvolveu a NR 35 regulamentando o trabalho em altura e através dessa norma estabelece diretrizes que quando implementadas vão garantir  condições de segurança para o trabalhador desenvolver suas atividades.

 

Sempre que ocorre o acidente e é realizada uma investigação percebe-se claramente como o planejamento da atividade pode ser a diferença entre o trabalho seguro e o acidente. Existe uma linha tênue que separa esses dois lados.

 

A mudança de cultura, o entendimento que a atitude faz toda a diferença é muito importante para os trabalhadores, pois cada dia está em suas mãos à decisão de usar ou não o EPI, ancorar ou não o cinto, trabalhar ou não com segurança. Mas é muito complicado quando o trabalhador tem essa consciência, recebe treinamento e busca trabalhar de forma correta, mas não tem no ambiente de trabalhos condições adequadas, ancoragem correta.

 

O MTE inseriu em 2015 na NR 35 o anexo II que trata exatamente da ancoragem e deixou bem claro a necessidade de um profissional habilitado para definir essa condição. Esse é um ponto importante a ser considerado pelos empregadores, de nada adianta oferecer EPI’s e treinamentos ao trabalhador e o mesmo não ter onde ancorar seu equipamento, muitas vezes a atividade desenvolvida envolve lugares e situações que dificulta a implementação de condições adequadas e o trabalhador acaba sujeito a trabalhar conforme dá.

 

Essa é uma mudança real, urgente e inevitável, precisamos cercar essas condições inseguras com planejamento e adequação de melhores condições de trabalho.

 
 

Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), 40% dos acidentes de trabalho no Brasil estão relacionados a quedas de trabalhadores em altura.

 

 

 

 

 

Por mais que pareça difícil e de fato é, a necessidade do trabalho seguro em altura é hoje um dos maiores desafios para empregados e empregadores. E se este quadro não mudar a tendência é o número de acidentes aumentarem cada vez mais.

 

Os treinamentos visam conscientizar os trabalhadores sobre riscos e medidas de controle. Nessa etapa é muito importante entender como realizar a atividade, usar corretamente o cinto e seus acessórios, eliminar fator de queda e trabalhar sem acidentes. 

Não é de hoje que o assunto acidente no trabalho em altura perturba o sono de todos que estão envolvidos com a segurança do trabalho. As estatísticas mostram que os acidentes ocorrem em grande escala e sabemos que medidas de segurança precisam ser adotadas para mudar esse quadro.

E a pergunta sempre é: o que fazer? Como fazer?

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) desenvolveu a NR 35 regulamentando o trabalho em altura e através dessa norma estabelece diretrizes que quando implementadas vão garantir  condições de segurança para o trabalhador desenvolver suas atividades.

Sempre que ocorre o acidente e é realizada uma investigação percebe-se claramente como o planejamento da atividade pode ser a diferença entre o trabalho seguro e o acidente. Existe uma linha tênue que separa esses dois lados.

A mudança de cultura, o entendimento que a atitude faz toda a diferença é muito importante para os trabalhadores, pois cada dia está em suas mãos à decisão de usar ou não o EPI, ancorar ou não o cinto, trabalhar ou não com segurança. Mas é muito complicado quando o trabalhador tem essa consciência, recebe treinamento e busca trabalhar de forma correta, mas não tem no ambiente de trabalhos condições adequadas, ancoragem correta.

O MTE inseriu em 2015 na NR 35 o anexo II que trata exatamente da ancoragem e deixou bem claro a necessidade de um profissional habilitado para definir essa condição. Esse é um ponto importante a ser considerado pelos empregadores, de nada adianta oferecer EPI’s e treinamentos ao trabalhador e o mesmo não ter onde ancorar seu equipamento, muitas vezes a atividade desenvolvida envolve lugares e situações que dificulta a implementação de condições adequadas e o trabalhador acaba sujeito a trabalhar conforme dá.

Essa é uma mudança real, urgente e inevitável, precisamos cercar essas condições inseguras com planejamento e adequação de melhores condições de trabalho.

 

Por mais que pareça difícil e de fato é, a necessidade do trabalho seguro em altura é hoje um dos maiores desafios para empregados e empregadores. E se este quadro não mudar a tendência é o número de acidentes aumentarem cada vez mais.

Os treinamentos visam conscientizar os trabalhadores sobre riscos e medidas de controle. Nessa etapa é muito importante entender como realizar a atividade, usar corretamente o cinto e seus acessórios, eliminar fator de queda e trabalhar sem acidentes. 


A MA Consultoria visa em todas as suas atividades no curso de trabalho em altura a conscientização dos trabalhadores para o trabalho seguro, nossos instrutores são capacitados e os treinamentos são realizados em estrutura adequada e com EPI’s apropriados que atendem as exigências legais.

Exemplificamos de forma prática em nosso canal do youtube MA Consultoria #Fechadocomasegurança em um dos nossos vídeos com o nome Análise de 3 acidentes no trabalho em altura - NR35. Visite o nosso canal curta e se informe cada vez mais, temos vídeos novos toda semana. Os vídeos são realizados pelos próprios instrutores que ministram os treinamentos, principalmente os cursos da NR  35.


Contamos com uma equipe de instrutores altamente capacitados e com experiência em  todas as práticas apresentadas em seus cursos.

 

A MA Consultoria visa em todas as suas atividades no curso de trabalho em altura a conscientização dos trabalhadores para o trabalho seguro, nossos instrutores são capacitados e os treinamentos são realizados em estrutura adequada e com EPI’s apropriados que atendem as exigências legais.

 

Agende seu treinamento: (31) 3495-4427

                                         comercial@maconsultoria.com

 

Referências:

 

Fonte: http://www.maconsultoria.com/normas-regulamentadoras-atualizadas-mte nr 35 trabalho em altura - acessado em 18/10/2017

 

http://www.protecao.com.br/noticias/acidentes_do_trabalho/atividade_em_altura_representa_40_dos_acidentes_de_trabalho_/

AJjyJajb - acessado em 18/10/2017

 

Giselle Dias

Tecg. em Segurança do Trabalho com 6 anos de experiência em treinamentos das NR’s, Multiplicadora da NR 35, NR 33, NR 20 entre outras.  Bombeiro Civil e Instrutora de Trânsito com mais de 10 anos de experiência em formação de condutores, reciclagem de infratores, Direção Preventiva para empresas.

 
Voltar